Você Sabe o Que São as Bandeiras Tarifárias?

Sempre que a geração de energia encarece, a ANEEL modifica a bandeira tarifária e o consumidor passa a pagar um acréscimo na conta de energia elétrica. Mas você sabe o que são essas bandeiras?

 

O sistema de Bandeiras Tarifárias entrou em vigor em 2015 e desde então o consumidor, através da sua conta de energia, passou a saber se naquele mês haveria acréscimo ou não no valor da energia.

As modalidades são verde, amarela, vermelha- patamar 1 e 2- e a mais nova bandeira escassez hídrica, uma referência as cores dos semáforos (com exceção da nova bandeira- cor preta) onde cada cor indica se as condições de geração de energia estão favoráveis ou não.


Bandeira verde: condições favoráveis de geração de energia. A tarifa não sofre nenhum acréscimo;

Bandeira amarela: condições de geração menos favoráveis. A tarifa sofre um acréscimo de R$ 0,01874 para cada kWh consumidos;

Bandeira vermelha- Patamar 1: condições mais custosas de geração. A tarifa sofre um acréscimo de R$ 0,03971 para cada kWh consumidos;

Bandeira vermelha- Patamar 2: condições ainda mais custosas de geração de energia. A tarifa sofre acréscimo de R$ 0,09492 para cada kWh consumidos;


Bandeira Escassez hídrica: nova bandeira criada em agosto de 2021 devido a maior crise hídrica já registrada no Brasil. A tarifa sofre acréscimo de R$0,142 para cada kWh consumidos. Essa cobrança valerá para todos os consumidores do Sistema Interligado Nacional de setembro deste ano a abril de 2022, com exceção dos beneficiários da tarifa social.



MAS QUAL A DIFERENÇA ENTRE AS BANDEIRAS E AS TARIFAS?

As tarifas representam a maior parte da conta de energia e cobrem os custos envolvidos na geração, transmissão e distribuição de energia elétrica, além dos encargos setoriais.

Já as bandeiras, dão cobertura para os custos variáveis de geração. Dependendo de qual usina se utiliza para gerar energia, esses custos podem ser maiores ou menores.


AS BANDEIRAS SEMPRE FORAM COBRADAS

O acréscimo no custo da geração de energia sempre foi repassado aos consumidores, as vezes até um ano depois, porém antes do sistema tarifário de bandeiras, esse valor passava despercebido pelos consumidores.


QUANDO AS BANDEIRAS MUDAM DE COR?

Todo mês o Operador Nacional do Sistema Elétrico analisa as condições de operação do sistema de geração de energia elétrica e define a melhor estratégia para atender a demanda.

Então para cada nível de geração hidráulica e térmica tem-se uma previsão de custos a serem cobertos pelas bandeiras.


POR QUE É IMPORTANTE QUE O CONSUMIDOR CONHEÇA A COR DAS BANDEIRAS?

Hoje o consumidor possui um papel mais ativo no setor elétrico. É importante que o consumidor conheça o que ele está pagando e possa adaptar seu consumo de acordo com o valor das bandeiras para que não seja pego de surpresa no final do mês.



PIOR CRISE HIDRICA DA HISTÓRIA


Estamos passando pela maior crise hídrica já registrada. Com 65% da matriz energética dependente de hidrelétricas, o Brasil se vê em uma situação extremamente preocupante, o que tem levado o governo a adotar determinadas medidas.


Com níveis baixos nos reservatórios, baixo volume de chuvas, falta de planejamento energético por parte do governo e previsões desanimadoras sobre os próximos meses em relação ao volume de precipitações no país, o uso das termelétricas para suprir a demanda energética do país se fez necessária.


O acionamento das termelétricas, onde o valor da energia chega a custar R$ 2.000,00/MWh e a compra de energia eletrica dos países vizinhos tem feito a conta de energia do consumidor subir e com previsão de mais aumentos em 2022.


Com isso o governo apresentou algumas possibilidades para se atenuar a crise e evitar um apagão:

- Redução voluntária de demanda: Grandes consumidores que estão no mercado livre ofertam a redução de consumo de energia. É mais barato para o governo pagar um consumidor para reduzir a carga do que acionar uma termelétrica;

- Programa de redução voluntária de consumo: o governo propõe um desconto para quem conseguir reduzir a consumo entre 10 e 20%. O desconto é de R$0,50 a cada kWh reduzido na fatura entre setembro e dezembro;

- Maximização do intercambio de energia entre NE e SE: envio da energia do nordeste para o sudeste, visto que estamos no ápice da geração solar e eólica.


Chegou a hora de todos economizarem para que o Brasil não passe por um apagão.


Fontes:

ANEEL

ANEEL FAQ

CNN

Post em destaque
Posts recentes
Arquivo
Procure por tag
 Siga-nos 
  • LinkedIn Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square